Flamengo enxuga departamento de futebol com saídas e remanejamentos

0
lamengo enxuga departamento de futebol com saídas e remanejamentos
lamengo enxuga departamento de futebol com saídas e remanejamentos

Remanejamento entre departamentos, troca de cargos e demissões. A chegada de Jorge Jesus e seus sete assistentes está longe de ser a única novidade da volta aos trabalhos do futebol do Flamengo. Com o setor inchado com mais de 50 profissionais, mudanças já aconteceram e vão continuar acontecendo ao longo da próxima semana em decisões que têm como pano de fundo o cabo de guerra político dos bastidores.

Novo diretor executivo do futebol, Bruno Spindel comanda as reuniões para enxugar o departamento, que contam ainda com a influência do vice de relações externas, BAP. Marcos Braz, por outro lado, trabalha para estancar danos drásticos. Colocado em xeque, o auxiliar permanente Marcelo Salles, por exemplo, tem o aval do vice de futebol.

O “Fera” foi chamado para uma reunião na reapresentação do elenco, quinta-feira, e comunicado de que sua situação seria analisada. Até que o martelo seja batido, Salles está de folga, mas a tendência é de que permaneça.

O mesmo já não vale para o preparador físico Alexandre Sanz, que também voltou ao clube neste ano através de Marcos Braz. Na mesma situação do ex-treinador interino inicialmente, os argumentos apresentados não foram suficientes para evitar a demissão

Até o momento, já aconteceram dez definições entre demissões, trocas de função ou remanejamento para base. O ex-jogador Léo Inácio que ocupava a coordenação de transição entre base e profissional foi demitido. Carlos Noval, que abriu espaço para Spindel se tornar diretor executivo, assume a gerência neste setor.

Além do ex-lateral e de Sanz, mais um preparador físico, um roupeiro, um massagista, um analista de desempenho que ainda era remanescente da comissão de Abel Braga e um fisioterapeuta deixaram o clube. Um nutricionista e um preparador físico serão deslocados para as categorias de base após avaliação de excesso em seus setores.

Ao todo, o departamento de futebol tinha 55 funcionários na volta aos trabalhos (45 que ainda constam no site oficial, um novo gerente de futebol, um novo assessor de imprensa, Jorge Jesus e os sete trazidos por ele). A avaliação de que era gente demais feita por parte da diretoria foi ao encontro da percepção inicial do treinador português, que busca informações minuciosas da função de cada profissional para entender o funcionamento de uma estrutura diferente da que existe na Europa.

Outra mudança que passa pelos bastidores políticos do clube é o Centro de Inteligência de Mercado (CIM), comandado pelo ex-volante Fabinho. O grupo agora está sobre a gerência do Conselho do Futebol, que fica na Gávea, e a tendência é que também seja reduzido.

Com as alterações, o número já caiu para 46, mas não é definitivo. Há situações a serem discutidas, como a do próprio Marcelo Salles. Confira abaixo qual a estrutura do departamento de futebol do Flamengo no momento:

Diretor executivo: Bruno Spindel
Gerente de futebol: Paulo Pelaipe
Gerente de transição: Carlos Noval
Técnico: Jorge Jesus
Auxiliares: João de Deus, Tiago Oliveira e Marcelo Salles (situação sob avaliação)
Preparação física: Mário Monteiro, Márcio Sampaio (prevenção de lesões) e Roberto Jr.
Preparação de goleiros: Wagner Miranda e Nielsen Elias
Coaching: Evandro Mota
Outras funções: supervisor, analistas de desempenho (5), médicos (5), analista de performance, fisioterapeutas (3), enfermeiro, massagistas (2), roupeiros (2), nutricionistas (2), seguranças (4), secretária, comunicação e marketing (6).

Globo Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here