Com o interesse em Balotelli mais do que escancarado, o Flamengo aguarda sinais mais claros do italiano para apresentar uma proposta oficial e tentar trazer o atacante para o futebol brasileiro por ao menos dois anos. A negociação não é fácil porque dirigentes sabem que os valores são altos mesmo sem ter havido ainda conversa mais conclusiva sobre cifras entre as partes.

A negociação chegou por meio de intermediários. Em conversa telefônica, o italiano disse para o vice de futebol Marcos Braz que teria desejo em jogar no clube. A partir do interesse mútuo manifestado, o Flamengo avalia a preparação de uma proposta concreta.

Ainda que valores não tenham sido colocados formalmente na mesa, o Fla já sabe que o patamar para um jogador deste tamanho giraria pelo menos na casa dos 4 milhões de euros anuais (R$ 17,9 milhões). Neste cenário, o “Super Mario” custaria (no mínimo) algo em torno R$ 1,3 milhão por mês. O entendimento na negociação é que, para atrai-lo para o Brasil, seria necessário oferecer um salário de nível europeu. Ressalte-se que não houve proposta financeira até agora do Flamengo, nem pedida do jogador.

O que provoca cautela nos dirigentes rubro-negros são propostas de times da China. Embora o projeto esportivo do Fla pareça mais interessante para o jogador, os chineses têm dinheiro de sobra para investir. Se o abismo for muito grande, os cariocas sabem que ficam fragilizados na disputa, ainda que o nível maior de competitividade seja um trunfo dos cariocas.

Há ainda sinalização de proposta da Europa para o jogador. Quem representa o jogador é o empresário italiano Mino Raiola, o mesmo agente à frente da carreira de Zlatan Ibrahimovic.

O que a cúpula rubro-negra também já tem ciência é que um final feliz depende muito da disposição do atleta em ceder, especialmente no que diz respeito aos valores. Como o real é uma moeda frágil perante outras, Balotelli “perderia” dinheiro no negócio. O Flamengo, por sua vez, está disposto a ir ao limite de suas possibilidades. Mas não há chance de chegar aos patamares publicados pela imprensa italiana de 10 milhões de euros por ano, um nível acima da realidade do Brasil.

Lembre-se ainda que o Rubro-negro não tem sobra na folha do orçamento atual para um jogador deste quilate, pois já fechou sua conta com Filipe Luís. O clube terá de gerar uma nova receita para cobrir esse valor, seja com premiação de competições, seja com venda de atletas. Após as vendas de Jean Lucas e Léo Duarte, há sondagens pelo atacante Reinier . Já existe um aumento da dívida rubro-negra, em níveis controláveis, pelo alto investimento em contratações nesta temporada.

Além da disputa com mercados mais poderosos e limitações de caixa, o clube tem o tempo como inimigo, já que o plano é ter o reforço apto ao menos para o jogo de volta contra o Internacional , pela Libertadores , dia 28. Para tanto, Balotelli teria de estar regularizado até três dias antes do início das quartas.

Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui